Quinta, 20 de novembro de 2014
Novo Doe
Juventude
17.02.2012
Jovens saem do país em busca de melhores condições de vida
Karol Assunção
Adital

Busca por melhores condições econômicas. Essa é uma das principais motivações para a pessoa deixar a terra natal e "tentar uma vida melhor” em outro país. Na Guatemala, de acordo com pesquisas, a maior parte dos migrantes é jovem do sexo masculino e abaixo dos trinta anos de idade.

O estudo O Salto para o Norte: violência, insegurança e impunidade do fenômeno migratório na Guatemala, publicado em 2011 pelo Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef), revelou que, no ano de 2010, por hora, aproximadamente 14 pessoas emigraram da Guatemala. Apesar dos diferentes motivos que levaram a tal decisão, um se destaca: melhorar as condições de vida.

"Isto significa que a cada dia saem da República cerca de 330 pessoas buscando maiores e melhores oportunidades de desenvolvimento, realizando uma viagem custosa, arriscada e, sobretudo, difícil”, comentou o estudo.

Muito aproveitam a oportunidade no novo país para enviar dinheiro para a família que ficou na Guatemala. De acordo com Unicef, a maior parte dessas pessoas que enviam remessas é jovem e do sexo masculino. Segundo a pesquisa, em 2010, seis de cada dez emigrantes que enviaram dinheiro tinham menos de 30 anos de idade "o que faz com que a emigração guatemalteca seja predominantemente jovem”, observou.

Em um informe publicado no início deste ano, a Procuradoria dos Direitos Humanos da Guatemala destacou algumas violações aos direitos humanos enfrentadas pelos emigrantes guatemaltecos nas tentativas de entrar nos Estados Unidos, como violência, desemprego e ações de políticas estadunidenses anti-imigrantes. Em 2011, o país norte-americano "deportou, via aérea, 30.855 guatemaltecos (28.415 eram homens, 1.927 mulheres e 513 menores de idade), quantidade superior a do ano anterior em 6,05%. Via terrestre desde México, foram deportados 30.700 guatemaltecos”, afirmou.

Motivações Econômicas

Segundo o informe publicado por Unicef, 90,5% das pessoas que saíram da Guatemala foram motivadas por questões econômicas. "51,7% dos guatemaltecos que saem veem a emigração como a oportunidade de melhorar e aumentar suas rendas econômicas; outros 37,2% se vão da República em busca de melhores oportunidades de emprego. A isso tem que somar 1,6% das pessoas que abandonam o país com a intenção de economizar ou enviar dinheiro para construir uma casa”, apresentou.

Dados do relatório da Procuradoria de Direitos Humanos da Guatemala apontaram que 53,71% da população trabalhadora do país vive na pobreza e 13,33% vivem na pobreza extrema. Além disso, apenas 36,2% da população economicamente ativa tem um emprego formal.


Karol Assunção

Jornalista da Adital
Link permanente:
Ao publicar em meio impresso, favor citar a fonte e enviar cópia para:
Caixa Postal 131 - CEP 60.001-970 - Fortaleza - Ceará - Brasil
Início
Adital na Rede
Artigos mais lidos (nos últimos 7 dias)
  1 2 3 4 5  
Notícias mais lidas (nos últimos 7 dias)
  1 2 3 4 5