Sábado, 25 de outubro de 2014
Novo Doe
Artigos - Opinião
11.02.2013
[ Mundo ]
Papa, um gesto emocionante
Roberto Malvezzi, Gogó
Adital

Mais do que surpreendente, o gesto de Bento XVI é emocionante. Cercado de gente conservadora que ele mesmo promoveu, há tempos ele pensava em renunciar, mas vários de seus mais próximos sempre o desaconselharam. A renúncia era tida como um gesto de fraqueza. Na verdade, talvez seja o gesto de maior grandeza que tenha feito em toda sua vida.

A idade pesa. O cargo é exigente. Então, reconhecer os próprios limites e ousar dar um passo que não acontecia na Igreja Católica desde 1415 é mesmo histórico.

Muitos católicos –como eu– têm a sensação que nossa Igreja ainda não entrou no século XXI. Os grandes desafios humanos e do planeta no qual habitamos são temas secundários na agenda Católica. Claro que muitos cristãos e muitas igrejas particulares já se lançaram sobre esses temas, caso da própria CNBB, mas falta o gesto profético da Igreja Universal.

Nada garante que o sucessor de Bento XVI tenha uma visão de mundo que o impila a sair dos muros do Vaticano, ou da própria Igreja, para cumprir seu papel de fermento, sal e luz para toda a humanidade. Claro que grande parte da humanidade também está de costas para qualquer iniciativa que venha da Igreja, mas, independente disso, a sua tarefa é promover o Reino de Deus e a sua justiça.

O gesto do Papa parece revelar um sopro do Espírito, humildemente acolhido. Quem sabe o Espírito venha em toda a sua plenitude.

Roberto Malvezzi, Gogó

Equipe CPP/CPT do São Francisco. Músico. Filósofo e Teólogo
Link permanente:
Ao publicar em meio impresso, favor citar a fonte e enviar cópia para:
Caixa Postal 131 - CEP 60.001-970 - Fortaleza - Ceará - Brasil
Início
Adital na Rede
Artigos mais lidos (nos últimos 7 dias)
  1 2 3 4 5  
Notícias mais lidas (nos últimos 7 dias)
  1 2 3 4 5