Domingo, 21 de setembro de 2014
Novo Doe
ADITAL Jovem
14.12.2011
Pesquisa da Unicef mostra que violência e insegurança afastam crianças da escola
Natasha Pitts
Adital
A violência e a insegurança estão afastando meninos e meninas da escola na Guatemala, país considerado um dos sete mais perigosos do mundo. A constatação é de pesquisa encomendada pelo Fundo das Nações Unidas para a Infância – Unicef. Ao entrevistar 817 alunos, 817 professores e 253 pais de família, a pesquisa constatou que oito de cada dez crianças têm medo de ir ao colégio por temor de ladrões, incidentes no transporte coletivo, insegurança e violência.

A pesquisa, divulgada pelo Unicef no início desta semana, especifica que 35,8% disseram ter medo das gangues juvenis e 21,1% estão mais preocupados com o fato de serem assaltados.

As agressões também são temidas por ser uma constante na vida dos estudantes. 64,5 % deles afirmaram já ter sofrido agressão física e 25,2% agressões verbais. Já o assédio sexual foi o menos citado. Apenas 19,3% confessaram ter sido vítima.

Uma situação também constatada pela pesquisa é que 77% dos professores não têm informação e, por falta de capacitação adequada, também não sabem como agir mediante situações de violência escolar. Apesar disso, 28,4% afirmaram que já foram vítima de violência ou conhecem alguém que sofreu perseguição de gangues.

Os professores também estão cientes sobre a venda de drogas e o consumo de álcool nas proximidades dos centros escolares. 11,6% asseguraram saber sobre pontos de drogas próximo aos colégios e 28,4% disseram ter informação sobre o consumo de bebidas alcoólicas nos arredores.

Outro dado preocupante é a falta de confiança na Polícia Nacional Civil (PNC). 77% dos e das estudantes não confiam nesta força de segurança pública, mesmo com a criação de um programa denominado ‘escolas seguras’.

O serviço de saúde também não inspira confiança à população guatemalteca. Quando se trata de buscar ajuda, 37,7% dos/as entrevistados/as afirmaram não confiar em hospitais ou centros de saúde. Em contrapartida, 15,3% asseguraram confiar bastante nestas mesmas instituições.

Apesar do resultado da pesquisa e da sensação de insegurança na ida para a escola e nas proximidades, Juan Enrique Quiñónez, especialista da Unicef, adverte que mesmo a Guatemala sendo considerado um país bastante perigoso, as escolas ainda podem ser consideradas locais seguros para os estudantes.

Quiñónez comprova isso com os próprios resultados da pesquisa, já que 81,2% dos meninos e meninas entrevistados responderam que a insegurança é gerada por fatores externos – fora das aulas, como o trajeto nos ônibus rumo à escola.

A Guatemala está entre os sete países mais perigosos do mundo, segundo afirma o relatório ‘Carga Global da Violência Armada’ divulgado neste ano. O país, junto com Honduras apresenta taxas de homicídio superiores a 49 assassinatos para cada 100 mil habitantes. Entre 2004 e 2009 a violência se intensificou, em boa parte devido à atuação de gangues armadas.

Com informações de EFE e El Diario

Natasha Pitts

Jornalista da Adital
Link permanente:
Ao publicar em meio impresso, favor citar a fonte e enviar cópia para:
Caixa Postal 131 - CEP 60.001-970 - Fortaleza - Ceará - Brasil
Início
Adital na Rede
Artigos mais lidos (nos últimos 7 dias)
  1 2 3 4 5  
Notícias mais lidas (nos últimos 7 dias)
  1 2 3 4 5